sexta-feira, 30 de dezembro de 2011



”Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.”
Carlos Drummond de Andrade


Que venha 2012!!!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011



"Tenho um sorriso bobo, parecido com soluço

Enquanto o caos segue em frente

Com toda a calma do mundo." Legiao urbana






Numa conversa com uma amiga hj ela disse: "amiga vc é intensa demais"... e gora me pego aqui pensando e escrevendo sobre isso.
Intenso: adj. Que tem muita força: calor intenso. Considerável: atividade intensa. Veemente, forte.(http://www.dicio.com.br/intenso/)


Sendo assim...
Sou mesmo intensa. Amo de verdade com todas as minhas forças, desejos, coração e alma. Esqueço e de repente tudo vira passado. O fato é deixo completar os ciclos e logo me permito viver ciclos novos, não vejo motivos para ficar vivendo e revivendo sempre as mesmas coisas que já não me fazem bem. Não costumo deixar as coisas pela metade, se me propus a fazer ou o desafio me foi dado eu cumprirei o que foi determinado. Não tenho medo do futuro, de cair, de ser feliz, assim vou vivendo, me encantando e me envolvendo.
A vida não é "um mar de rosas" os percalços existem mas e daí? Quem disse q não posso enfrentá-los, se vai doer, se vou me machucar é o que menos conta, o importante são os sentimentos que me cercam e me dão forças.




E pra finalizar esses pensamentos soltos só posso desejar que a NOSSA jornada "Seja Doce"...


xerooo




por Karlene Sayanne

terça-feira, 20 de dezembro de 2011



coisas do face... rsrsrs




"É preciso que você venha nesse exato momento.
Abandone os antes.Chame do que quiser. Mas venha.
Quero dividir meus erros, loucuras, beijos, chocolates...
Apague minhas interrogações.
Por que estamos tão perto e tão longe?
Quero acabar com as leis da física,
dois corpos ocuparem o mesmo lugar!
Não nego. Tenho um grande medo de ser sozinha.
Não sou pedaço. Mas não me basto." Caio Fernando

sábado, 17 de dezembro de 2011





"Não se concentre tanto nas minhas variações de humor, apenas insista em mim.Se eu calar, me encha de palavras, me faça querer dizer outra e outra vez sobre você, sobre nós, e todo esse amor. Se eu chorar, não me faça muitas perguntas, não precisa nem secar minhas lágrimas. Só me diz que você continuará comigo pra tudo, que tenho teu colo e teu carinho. E ainda que te doa me ver assim, me envolva nos teus braços e diga que eu posso chorar, mas que você não sairá dali enquanto eu não sorrir. Porque é isso que nos importa, não é? O sorriso um do outro. Não é?" Caio Fernando

sábado, 10 de dezembro de 2011


"Você vai comigo aonde eu for
Você vai bem, se vem comigo
Serei teu amigo e teu bem
Fica bem, mas fica só comigo...
Quando o sol se vai a lua amarela
Fica colada no céu, cheio de estrela
Se essa lua fosse minha
Ninguém chegava perto dela
A não ser eu e você
Ah, eu pagava prá ver
Nós dois no cavalo de ogum
Nós juntos parecendo um
Na lua, na rua, na nasa, em casa
Brasa da boca de um dragão..."




Zeca Baleiro, o Grande, não fazendo nenhum tipo de relação ao Alexandre, O Grande, aquele dos velhos livros de História.
Na verdade Zeca Baleiro é pra mim um artista completo, canta divinamente bem, suas composições são impecáveis e seus textos em nada deixam a desejar. É sempre um som pra ser curtido a qualquer momento, em qualquer lugar, com qualquer pessoa e sozinha... é só ligar o som e se deleitar coma s interpretações dele.
Ontem fui a um show dele (Teresina-Pi) que de longe foi o melhor show q já assisti na minha vida e ainda cantou a música Comigo (essa do trecho acima citado). Show lindooo!!! Só me apaixona a cada dia mais por esse "compositor popular".

feliiiiiiiiiz!!!!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011



“No fundo, mesmo lendo tanto, pensando tanto e filosofando tanto, a gente gosta mesmo é de quem é simples e feliz. A gente não se apaixona por quem vive reclamando e amassando jornais contra a parede. A gente se apaixona por esses tipinhos banais que vivem rindo. E a gente se pergunta: que é que ele tem que brilha tanto? Que é que ele tem que quando chega ofusca todo o resto?” Tati Bernadi

quinta-feira, 27 de outubro de 2011


"Você disse que me ama
Pensa que engana o meu pobre coração
Tá saindo com um banana
Com saudade da minha cama
Esperando o meu perdão
uuuh
Fica dizendo que me quer
Mas prefere um mané apaixonado por você
Tatuagem com meu nome
Ainda tem meu telefone
Assim não vai me esquecer
Por isso eu não...
Trocaria um sorvete de flocos por você 
ie" 

Soulstripper




p.s: to mt apaixonada por esse clipe e o som da banda é bem legal

domingo, 23 de outubro de 2011



"Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios e, se faltar luz, tanto melhor. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve." Martha Medeiros


p.s: gosto tanto de abraços ^^
"E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, 
 pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, 
lhe dará. 
A moça - que não era Capitu,  
mas também tem olhos de ressaca -
 levanta e segue em frente." Caio F.

sábado, 22 de outubro de 2011


Eu quero pouco e quero mais quero você. quero eu. quero domingos de manhã. quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. quero seu beijo. quero seu cheiro. quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.  Caio F.


p.s: e uma casinha feita de lençóis também. 
e logo, por favor.  

domingo, 16 de outubro de 2011



"E são tantas marcas
Que já fazem parte

Do que eu sou agora
Mas ainda sei me virar"

quarta-feira, 12 de outubro de 2011





"Perguntaram a John Lennon:
- Por que você não pode ficar sozinho, sem a Yoko?
ele respondeu:
- Eu posso, mas não quero. Não existe razão no mundo porque eu devesse ficar sem ela. Não existe nada mais importante do que o nosso relacionamento, nada. E nós curtimos estar juntos o tempo todo. Nós dois poderíamos sobreviver separados, mas pra quê? Eu não vou sacrificar o amor, o verdadeiro amor, por nenhuma piranha, nenhum amigo e nenhum negócio, porque no fim você acaba ficando sozinho à noite. Nenhum de nós quer isto, e não adianta encher a cama de transa, isso não funciona. Eu não quero ser um libertino. É como eu digo na música, eu já passei por tudo isso, e nada funciona melhor do que ter alguém que você ame te abraçando."
 Lilian Marques








p.s: já querooo um abraçooo

domingo, 9 de outubro de 2011



"Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos, os pelos do peito e um joelho esfolado, você tem que se esfolar as vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate que isto é coisa de gente triste. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.

Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. goste de um esporte não muito banal. Não invente de querer muitos filhos, me carregar pra a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora. Quero ver você nervoso, inquieto, olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Não fume, beba, chore, eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... experimente me amar!" Martha Medeiros


“Tem gente que tem esse dom. De não ser feliz e querer enferrujar o sorriso alheio…”     Caio F.

sábado, 8 de outubro de 2011

06/10/2011
Teresina- Piauí




Até parece que sou movida a provocações, questionamentos. Por esses dias me perguntaram por que eu ainda não tinha escrito nada sobre a minha experiência de estagio no ensino fundamental. Pois bem, resolvi sentar alguns minutos e escrever. (Na verdade já estou há algum tempo aqui pensando no que foi vivido. A dura realidade é bem diferente da bela Teoria.)
Vez ou outra ouvimos em noticiários, telejornais e periódicos que o Brasil está mudando os rumos da educação, que ainda falta coisa, mas que muito já foi feito e melhorado. Fato? Eu diria que fantasia. O discurso é para mudar o imaginário coletivo de que as nossas crianças estão em boas mãos nas escolas públicas. Não vou me prender a explicar o que é discurso ou imaginário, isso Foucault, Certeau, Chartier e Hayden White fazem muito bem.
O meu estágio aconteceu numa escola do estado (Piauí) numa turma de 8º Ano, no turno TARDE, isso implica dizer que os alunos que na escola por volta das 13 horas no calor escaldante da nossa capital. O relatório vai começar pelo espaço físico da instituição de ensino. A escola é pequena onde é possível ter um controle maior sobre o que acontece nas suas dependências. As salas de aula estão passando por reformas para serem colocados condicionadores de ar e aos poucos os alunos estão sendo remanejados para as salas que já possuem essa maravilha que ameniza o nosso calor. No entanto como forma de disciplina e punição (por favor, leiam Vigiar e punir de Foucault) as turmas barulhentas são colocadas em salas que não tem ar condicionado. Funciona? Claro que não, os meninos ficam mais agitados ainda e se torna impossível ministrar aulas e assisti-las.
“Pimenta no olho dos outros é refresco” sábio ditado popular. O bebedouro da escola fica dentro de um lugar com grades e trancado no cadeado. Os alunos só podem beber água se a coordenação da escola autorizar (entenda-se: se a coordenadora da escola tiver com coragem de levantar da sua confortável cadeira, pegar a chave e abrir o portão que dá acesso ao bebedouro). Alguém naquela escola já percebeu que estamos em Teresina, “linha do sol do equador”? As crianças precisam de água e o tempo todo para não desidratar. Onde andam as pedagogas nessas horas? Elas só servem para reclamar da sua didática em sala de aula?
As dúvidas são muitas e as respostas simples. Má vontade!!! Ninguém quer ver as coisas mudarem, esta tudo bem, cada um no seu lugar e ninguém pode falar nada. Porque vão se importar com as crianças? Elas são umas pestinhas mesmo. Na verdade, são apenas crianças, cada uma com sua subjetividade, com seu contexto social, com suas carências e necessidades.
A mudança deve partir de cada educador, de cada pedagoga, cada diretora de escola. É preciso ter vontade de mudar, de ajudar, de crescer. Eu tive ótimos alunos, dentro da sala de aula não tive problemas com os estudantes. São meninos e meninas brilhantes, que precisam de oportunidades e de pessoas que acreditem neles.
Se muita coisa não funciona não é simplesmente porque os alunos não querem estudar, esse é o menor dos problemas porque é falta de estímulo, e sim pela falta de responsabilidade e compromisso das pessoas quem detém o poder.
Então é isso, a escola é mal administrada e os alunos precisam de alguém que renove seus sonhos. Afinal, as crianças precisam sonhar com um futuro melhor. Um dia ainda vou ouvir algum aluno dizer assim: eu também quero ser professor. Porque até agora eu só ouvi: Porque você vai ser professora? É tão difícil e é tão mal remunerado.
Então é isso... Nesse país ninguém quer ver pessoas conscientes, com estudo e criticas. A intenção é construir meros objetos de trabalho. O importante é saber ler e escrever... Ah, mais nem isso muitos adolescentes de 9ºAno sabem fazer.
Eu poderia passar mais algumas horas aqui, sentada, escrevendo sobre a minha vivência, sobre as sociabilidades, cotidiano, mas prefiro parar por aqui. Os relatos já são o suficiente... Por enquanto... Aguardem os próximos capítulos afinal ainda falta o estagio no ensino médio.
Ah! Só um conselho: nunca fique na sala dos professores. O lugar é cheio de poeira e mortos-vivos.


Por Karlene Sayanne
Estagiária de História por um mês.


p.s:  A Bárbara Bruma que me incentivou a publicar aki... qualquer coisa... kkkkk

quinta-feira, 6 de outubro de 2011



"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada “impulso vital”. Caio F.

domingo, 25 de setembro de 2011


“Não há nada mais bonito do que o seu sorriso e o frio que te faz me abraçar.” Nando Reis

domingo, 18 de setembro de 2011

Eu carrego comigo uma caixa mágica onde eu guardo meus tesouros mais bonitos. Tudo aquilo que eu aprendi com a vida, tudo o que eu ganhei com o tempo e que vento nenhum leva (…) O pouco é muito pra mim. O simples é tudo que cabe nos meus dias. Eu vivo de muitas saudades. E quem se arrebenta de tanto existir, vive pra esbanjar sorrisos e flashes de eternidade.” Caio F. Abreu
‎"Tinha vontade que você estivesse aqui eu pudesse te mostrar muitas coisas, grandes, pequenas, e sem nenhuma importância, algumas. " Caio F. Abreu

segunda-feira, 12 de setembro de 2011


"João de baro eu te entendo agora,
Por favor me ensine como guardar o meu amor..." Leandro Léo

sábado, 10 de setembro de 2011



“Tenho tentado me estressar menos, sorrir mais. Carregar menos o mundo nas costas, dormir em paz. Me esforço para tirar a tensão dos ombros, relaxar completamente.” Clarissa Corrêa

sábado, 3 de setembro de 2011



Seguidores e visitantes não deixem de ler esse post pq ele expressa o orgulho de ser estudante universitária Teresinense.



ESTOU SUPER ORGULHOSA DOS ESTUDANTES DE TERESINA QUE INVADIRAM AS AS PRINCIPAIS AVENIDAS DA CIDADE EM UMA MANIFESTAÇÃO CONTRA O AUMENTO ABUSIVO DA PASSAGEM DE ÔNIBUS.
ORGULHO DA FORÇA, DA GARRA, DA CORAGEM DE CADA UM QUE ESTAVA LÁ, EM ESPECIAL, ORGULHO DOS MEUS AMIGOS HISTORIADORES. DESDE QUE INGRESSEI NO CURSO EM 2008, NA UFPI, SEMPRE OUVI DIZER QUE A NOSSA GERAÇÃO ERA MT PARADA, QUE NAO TINHA MOTIVOS PRA LUTAR. POIS BEM, O MOTIVO APARECEU E NÓS LUTAMOS. MILHARES DE ESTUDANTES NAS RUAS, DE ROSTOS PINTADOS E COM GRITOS DE GUERRA.
TERESINENSES SINTAM ORGULHO DE SEUS FILHOS, AMIGOS E CONHECIDOS QUE PARTICIPARAM DE FORMA DIRETA OU INDIRETA DAS MANIFESTAÇÕES PQ ELES FAZEM PARTE DA HISTÓRIA DESSA CIDADE.


SEGUE UM TEXTO DO PROF. DR. DENÍLSON BOTELHO, UM CARIOCA, QUE FALA SOBRE O ASSUNTO. O TEXTO É MT BOM VALE A PENA PARAR ALGUNS MINUTOS PARA LER E REFLETIR SOBRE. CONFESSO QUE LI, UMA DUAS,TRÊS VEZES EM VOZ ALTA E ARREPIADA DE TANTO ORGULHO. OBRIGADA PROF. PELO APOIO E PELAS SÁBIAS PALAVRAS.




A lição que vem das ruas


Uma parte dessa geração da qual faço parte, que hoje encontra-se na faixa dos 40 anos, guarda certas peculiaridades. Nascida na década de 1960, cresceu sob a vigência da Ditadura Militar e passou pela escola ao longo desse período de autoritarismo e repressão política. Cheguei ao ensino médio, numa escola técnica federal, em plena reta final do processo de abertura. Estudei no CEFET-RJ entre os anos de 1983 e 1985. E para ser sincero, foi ali que comecei a me dar conta do momento histórico que vivíamos.

Quando cursava o segundo ano, participei de um grupo que decidiu fundar um jornal dos estudantes. Chamava-se “Caminhando” e foi lançado em junho de 1984. Até hoje eu olho para aquele jornal e me assusto: eram 40 páginas de textos e ilustrações. Como fomos capazes de produzir um jornal mensal desse tamanho, aos 16, 17 anos de idade? E mais: cada exemplar era vendido, sendo o dinheiro arrecadado destinado a custear a edição seguinte.

Mas a escola tinha na época o mesmo diretor há mais de uma década, designado pela Ditadura para conduzir a instituição com mãos de ferro. Lembro-me que ele não gostou da iniciativa. O jornal vendeu os 800 exemplares da edição de estréia logo nos primeiros dias, foi um sucesso absoluto. Preocupado, o tal diretor nos impôs um regime de censura prévia. Sem alternativa, aceitamos a esdrúxula imposição, que contudo, fomentara entre nós certos questionamentos: por que temos que ser censurados? Por que as pessoas não podem exercer a sua liberdade de expressão (algo que na nossa ingenuidade adolescente nos parecia quase como um direito adquirido, inato)? Por que não podemos nos manifestar livremente? Afinal, educar não é parte da construção da tão desejada autonomia dos sujeitos? Onde fora parar a nossa autonomia dentro daquela escola?

Aos poucos fizemos as relações inevitáveis com a realidade do país e embarcamos na campanha cívica e popular que ganhou as ruas em defesa das eleições diretas para presidente da República. Lembro-me ainda das fortes emoções vividas nas manifestações no comício das “Diretas Já”, sob a estreita vigilância da polícia e a iminente repressão que poderia se desencadear a qualquer momento.

Parte dessa geração passou a sonhar com a democracia, se engajou firmemente nas campanhas eleitorais do PT (sendo ou não filiado ao partido) e desde então vem sendo derrotada, vendo seus sonhos serem pouco a pouco destroçados. Tivemos Sarney na presidência e a derrota para Collor, o auto-proclamado “caçador de marajás”, banido do poder pela geração cara-pintada - constituída de novo pelos estudantes, dessa vez da geração seguinte, que ganharam as ruas com o grito de guerra “Fora Collor!”. Depois mergulhamos nos sombrios anos do governo FHC, que consolidou a hegemonia neoliberal no país. E já no século XXI, quando o PT chega ao poder, já não era o mesmo PT pelo qual lutávamos na década de 1980. A famosa “Carta ao povo brasileiro” de Lula (de junho de 2002) não representa outra coisa, senão um alto grau de continuísmo neoliberal.

Acho que me tornei professor também por conta de uma fé inabalável no futuro e, em especial, nas novas gerações. O magistério exige isso de nós: determinação e esperança que nos fazem crer que aqueles que estão por vir serão em breve muito melhores do que nós, capazes até de realizar os mesmos sonhos que sonhamos e não concretizamos.

Por tudo isso, me orgulho muito dos estudantes que tomaram as ruas de Teresina nos últimos dias. Fazendo uso das novas tecnologias e das redes sociais (como o Twitter), mobilizaram-se e interromperam o trânsito nas principais vias da cidade. Ao invés de criminalizar a ação coletiva de jovens estudantes secundaristas, universitários e pós-graduandos, devemos saudá-la. Afinal, estão lutando pelo interesse coletivo e não em defesa de causas particulares, tão ao gosto do tempo em que vivemos. Estão a nos ensinar algo de muito positivo: é preciso lutar pelo que queremos, pois a vida é luta!

Ao invés de lançar sobre eles a pecha de vândalos, baderneiros e desordeiros, observemos os motivos pelos quais lutam: é injustificável o último reajuste das tarifas dos ônibus urbanos. Especialmente em face do massacre sofrido cotidianamente – e de forma silenciosa – pelos estudantes, trabalhadores e demais usuários desse meio de transporte. O fato é que os ônibus circulam frequentemente lotados, em quantidade e horários insuficientes para a população, fazendo muitos caminharem longos trechos até ter acesso a um ponto de embarque. Além disso, é igualmente inaceitável a inexistência de terminais que articulem as linhas e permitam o pagamento de uma só passagem, ao invés de duas ou mais para se chegar ao destino desejado. E numa cidade como Teresina, por razões óbvias, todos os ônibus deveriam circular obrigatoriamente dotados de ar condicionado.

A essa violência e humilhação cotidiana que um transporte público coletivo desrespeitoso e indigno impõe aos teresinenses, os estudantes responderam tomando de assalto as ruas, protestando e exigindo um valor de tarifa condizente com a realidade e não resultante de uma planilha de custos já colocada sob a devida suspeição. Eis a lição que vem das ruas. É bom que aprendamos com ela, pelo menos enquanto ainda corre em nossas veias o sangue fervido pela indignação.

Afinal, os jovens têm tomado as ruas de grandes cidades pelo mundo afora, movidos por causas de outra magnitude. É o que se vê atualmente no Chile, na Espanha e países do norte da África, por exemplo. Temos assistido à chamada “primavera árabe”. Não me admiraria se ao invés de presenciar o início do B-R-O-BRO, estivermos presenciando uma espécie de “primavera teresinense”.

Denilson Botelho
Professor de História da UFPI

Publicado n’O Dia (Teresina, PI), em 03.09.2011, Caderno Em Dia, Coluna Fórum, pág. 4.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

domingo, 28 de agosto de 2011

"Não tenha medo da quantidade absurda de carinho que eu quero te fazer" Tati Bernadi

VIVER!



"Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes.
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.
As coisas vão dar certo.

Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa." Caio F.

p.s: Conheci esse texto por causa da minha amiga Talita Kamache. O texto é lindo o grande Caio F. sempre acerta nas suas sábias palavras.

Que Deus nos abençoe sempre!!!
Copiei esse post do blog da minha amiga amada Talita: http://talitakamache.blogspot.com/

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

terça-feira, 23 de agosto de 2011

uma necessidade incomensurável sempre me atrai pra esse mundinho...


...e me deixa feliz.






“Que o teu afeto me afetou é fato.” O teatro mágico

"As palavras saem quase sem querer,
Rezam por nós dois.
Tome conta do que vai dizer.
Elas estão dentro dos meus olhos
Da minha boca, dos meus ombros
Se quiser ouvir
É fácil perceber


Não me acerte
Não me cerque
Me dê absolvição
Faça luz onde há involução
Escolha os versos para ser meu bem e não ser meu mal
Reabilite o meu coração" Vanessa da Mata
Essa postagem é pra minha amiga-irmã-floor-melissa Bárbara Bruma do blog http://barbarabrumafalaschi.blogspot.com/


"Haverá um momento em sua vida em que o amor vai chegar. Antes disso, você terá feito tudo o que podia, tentado tudo o que podia, sofrido o quanto podia e desistido muitas vezes. Mas, com a mesma certeza com que você está lendo este texto, posso lhe garantir que esse dia virá." Iyanla Vanzant.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011


"Te escrevo essa canção
Pra te fazer companhia
Pra segurar tua mão
Não te deixar sozinha
Canção feita de pele
Pra usar por baixo da roupa
Canção pra te deixar um gosto doce na boca
Te escrevo essa canção
Porque nem sempre ando perto
E essa canção me ajuda a atravessar um deserto
Canção de fim de tarde
Pra se infiltrar nos seus poros
Pra acordar com você
Te olhar no fundo dos olhos
Canção pra andar do teu lado
Em toda e qualquer cidade
Pra te cobrir de sorrisos
Quando eu chorar de saudades
Te escrevo essa canção  
Pra te fazer companhia
Pra segurar tua mão
Não te deixar sozinha
Canção feita de pele
Pra usar por baixo da roupa
Canção pra te deixar um gosto doce na boca
"
  Leoni



“Se não brilha mais, não insista. Lâmpada queimada não se arruma, se troca por outra.” Caio Fernando

domingo, 14 de agosto de 2011


"Eu sinto ciúme quando alguém te abraça, porque por uns segundos essa pessoa está segurando meu mundo inteiro!" Caio F.

sábado, 13 de agosto de 2011



"Só que passa, por ser ciclo, e por ser da natureza dos ciclos passar. Até lá, recomenda-se fazer modestamente o que se tem a fazer com o máximo de disciplina e ordem, sem querer novidades. Chatíssimo bem sei. Mas ciclo seco é assim mesmo." Caio F.



"NÃO HOUVE TEMPO. E A GENTE NÃO SABIA DISSO. (…) NÃO HAVIA TEMPO, A GENTE QUASE NUNCA SABE DISSO."   Cfa